Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


 

EXCELÊNCIAS.

Senhor Presidente da República do Senegal,  Macky Sall, Caro Irmão e Amigo,

Senhora de Macky Sall,

Senhor Presidente da Assembleia Nacional,

Senhor Primeiro Ministro,

Senhor Presidente do Supremo Tribunal de Justiça,

Senhora Presidente do CSMJ

Senhor Presidente da Câmara Municipal da Praia,

Senhoras e Senhores Membros do Governo,

Senhoras e Senhores Deputados,

Senhor Procurador Geral da República

Senhora Presidente da Assembleia Municipal da Praia,

Senhor Presidente da ANMCV,

Senhoras e Senhores Embaixadores e Representantes de Organizações Internacionais,

Autoridades Religiosas, Militares e Civis,

Senhoras e Senhores membros das delegações Senegalesa e Cabo-verdiana,

Senhoras e Senhores Diplomatas,

Autoridades,

Ilustres convidadas e convidados,

Minhas Senhoras, meus Senhores,

 

 

É sempre uma ocasião especial para nós, cabo-verdianos, receber o Chefe de Estado  do Senegal.

Há muito que não tínhamos tido tal privilégio.

Asseguro-vos, pois, que é uma grande honra cumprimentar, em nome do Povo de Cabo Verde, em meu nome pessoal e no da minha esposa, a presença amiga de Vossa Excelência, da Digníssima Senhora de Macky Sall e da ilustre delegação que Vos acompanha.

Através de Vossa Excelência, Senhor Presidente, saúdo todo o povo amigo e irmão do Senegal.

Espero que esta primeira visita oficial de V. Excelência a Cabo Verde possa constituir um marco forte nas já excelentes relações de amizade e cooperação existentes entre Cabo Verde e Senegal e uma oportunidade para a consolidação das nossas posições comuns no tocante aos grandes temas internacionais, máxime àqueles que dizem respeito mais directamente ao nosso Continente e à nossa sub-região. 

Na verdade, a boa e forte saúde das relações entre os nossos dois países não data de hoje, mas dos tempos em que os meus conterrâneos, confrontados com as contingências de uma natureza hostil e com a situação de abandono a que foram votados pelo poder colonial, então vigente, e munidos apenas de coragem e esperança, abandonavam as Ilhas à procura de um porto seguro, para darem um novo sentido às suas vidas.

Na verdade, o “porto Santo Senegal ”, como cantou um dos nossos poetas populares, sempre acolheu os cabo-verdianos de “braços abertos”. Ontem, como hoje, o cabo-verdiano soube contar com o fraterno acolhimento do hospitaleiro povo Senegalês.

 

Caro amigo, Presidente Macky Sall,

 

As relações de amizade e cooperação entre os povos de Cabo Verde e do Senegal ultrapassaram largamente os limites da resposta às necessidades de sobrevivência.  As nossas relações consolidaram-se, também, através de importante intercâmbio na esfera desportiva e das condições que o Senegal ofereceu para o desenvolvimento de significativa actividade cultural da diáspora cabo-verdiana.

É um facto que as nossas afinidades conheceram transformação importante aquando do início da luta de libertação nacional. O Senegal já não constituía apenas um espaço de grande apoio à emigração cabo-verdiana e uma janela para a modernidade. Transformava-se num dos baluartes dessa luta num contexto de grande complexidade. Hoje, filhos e netos de cabo-verdianos são senegaleses, vivem e trabalham no Senegal, onde exercem as mais diversas profissões e ofícios. 

Nós também temos hoje a grata satisfação de albergar uma já expressiva comunidade imigrada senegalesa que aqui está, igualmente, à procura de uma vida melhor. Orgulhosos das nossas respectivas culturas, através de um processo natural que precisa ainda ser mais desenvolvido, vamos dando corpo a uma das bandeiras mais emblemáticas do nosso tempo que é a interculturalidade. Afinal, somos teranga e morabeza e temos, dentro de nós, nos nossos corpos, nas nossas almas, nas nossas dores, nos nossos olhos, pedaços e memórias de Gorée e de Ribeira Grande.

 

Senhor Presidente, Excelência,

 

Tive o prazer e a honra de ter sido convidado para a cerimónia de tomada de posse de V. Excelência na qualidade de Presidente eleito da República do Senegal. Desde então, temos tido a oportunidade de nos encontrarmos com alguma frequência e discutido  questões de interesse mútuo para os nossos  Estados e a forma de tonificar e promover esse relacionamento para níveis efectivamente de excelência.

Senhor Presidente,

Para além do seu firme compromisso com o bem-estar do seu Povo, gostaria de destacar, nesta hora, a sua profunda cultura democrática e o seu grande apego aos princípios básicos, irredutíveis, do Estado de Direito Democrático, de que o nosso continente, ainda, necessita.

Reafirmo que países como Cabo Verde e Senegal, cujas Instituições Republicanas já deram provas da sua solidez e constância na defesa dos grandes princípios e valores que lhes são comuns, quais sejam, a paz, a liberdade, a democracia, a boa governação, a justiça social e a resolução pacífica de diferendos, devem poder erigir uma forte parceria, que seja vista como um exemplo da cooperação Sul-Sul, sendo, simultaneamente, dinâmica, frutuosa e igualitária.

Admito que seja crucial, nesta fase de desenvolvimento dos nossos países, conceder mais espaço às empresas privadas cabo-verdianas e senegalesas, para que se conheçam melhor, fortaleçam as suas relações de negócios, como o ocorrido na última edição da FIDAK 2013 e possam, de facto, desempenhar papel de maior relevância no processo de crescimento dos dois países,  o qual deverá evoluir  num ambiente de paz e segurança, condições sem as quais,  qualquer projecto estará votado ao insucesso.

Preocupa-nos, pois, o clima de instabilidade política e social que se instalou na nossa sub-região, reflectido no agravamento do terrorismo, da pirataria marítima, dos tráficos de toda a ordem e dos golpes militares de que são exemplos, paradigmáticos, os casos ocorridos no Mali e na Guiné Bissau que, felizmente, conheceram, nos últimos tempos, alguns avanços com vista à sua normalização.

Nesse quadro, para além de um importante esforço de reflexão sobre as causas profundas desses fenómenos, impõe-se um esforço maior e coordenado dos serviços competentes dos nossos dois países na luta contra tais fenómenos - que, certamente, será longa e complexa -, por forma a assegurar um ambiente propiciador do progresso das nossas respectivas Nações e Povos.

 

Senhor Presidente, Ilustres convidados,

 

A crise económica e financeira que tem afectado o mundo não tem impedido que o nosso continente, com destaque para a nossa sub-região, seja uma das áreas de maior crescimento económico.

Porém, a condição de vida da grande maioria das nossas populações não tem conhecido a evolução desejável e possível, o que estará relacionado com distorções internas que urge corrigir e com um relacionamento assimétrico da África com parceiros e organizações internacionais. Seria de grande valia se conseguíssemos criar as condições que permitissem ao nosso continente falar a uma só voz aos nossos interlocutores, na perspectiva de introduzir inadiáveis correcções nessas relações desiguais, enfim, a já velha ideia de uma nova ordem económica mundial que se quer mais justa e equitativa.

Torna-se, deste modo, imperioso que a África demonstre que é capaz de ser um bloco político e económico estável, competitivo e previsível no seu relacionamento com outras regiões do mundo.

Nesta perspectiva, entendo que uma concertação prévia para as próximas Cimeiras União Europeia / África e USA / África, previstas para os meses de Abril e Agosto do corrente ano, seria de grande interesse e utilidade.

 

Senhor Presidente,

 

A recente graduação de Cabo Verde a país de rendimento médio, muito embora constitua motivo de orgulho para os cabo-verdianos, não eliminou as condições de vulnerabilidade da sua economia que continua, de facto, ainda fortemente dependente de factores externos.

De se observar, contudo, que esforços relevantes vêm sendo feitos para ultrapassar tais constrangimentos.

As Instituições da República funcionam com a normalidade constitucional requerida e sem perturbações que, caso se verifiquem, são resolvidas no quadro constitucional vigente, respeitando os ditames da democracia e da separação de poderes.

O país goza, de facto, de uma invejável estabilidade institucional, política e social.

Isso para dizer que Cabo Verde oferece condições óptimas para que o empresário Senegalês, desejoso de investir no país, possa fazê-lo com toda a segurança. Seja individualmente, seja em parceria com investidores nacionais, se assim o desejar.

 

Senhor Presidente,

 

Gostaria de aproveitar este momento muito especial para, através de V. Excelência, Senhor Presidente, prestar solene homenagem aos seus antecessores que muito contribuíram para o entendimento e o fortalecimento da amizade fraterna entre os nossos povos, muito especialmente ao poeta e grande amigo de Cabo Verde, o extinto Presidente Leopold Sédar Senghor.

Cabo Verde e Senegal têm condições para escreverem um novo e extraordinário capítulo na história de suas relações políticas, institucionais, empresariais, comerciais, culturais e desportivas, sem esquecer a necessária cooperação no domínio da defesa e segurança, garantes da estabilidade política e da tranquilidade dos nossos cidadãos.

Para isso, Excelência e caro Irmão, pode contar com a minha total disponibilidade pessoal e institucional.

A Vossa liderança, Senhor Presidente, é inspiradora e transmite-nos confiança no futuro das nossas relações.

É com essa convicção que convido a todos para um brinde à saúde do Presidente Macky Sall e Sua Digníssima esposa e à amizade e afecto entre os nossos dois Povos.

 

Saúdo ainda a todas as Altas Autoridades senegalesas e cabo-verdianas, cujas presenças amigas tanto nos honraram esta noite.

 

Viva o Senegal!

 

Viva Cabo Verde!

 

Aceda ao discurso de SE o Presidente do Senegal em:

https://meocloud.pt/link/ab4ab261-cd55-4bab-812d-3a4f461f0fee/TOAST%20PRONONCE%20PAR%20SON%20EXCELLENCE%20MONSIEUR%20MACKY%20SALL%20PRESIDENT%20DE%20LA%20REPUBLIQUE%20DU%20SENEGAL.docx/

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:13