Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Exmo. Senhor Embaixador,
Exmo. Senhor Ministro das Relações Exteriores,
Exmos. Senhores Colaboradores da Presidência da República;
Exmos. Senhores Diplomatas,
Exmos. Senhores Colaboradores da Embaixada da Argentina,
Exmos. Senhores Jornalistas,

Senhor Embaixador,

Ao desejar-lhe as boas vindas a V. Excelência, gostaria de expressar a nossa simpatia e gratidão ao povo Argentino pelo acolhimento fraterno que concedeu aos meus concidadãos desde o fim do século XIX, quando, pela primeira vez, saíram das suas ilhas à procura de uma vida melhor.


Hoje se pode contar com a quarta geração de descendentes cabo-verdianos perfeitamente integrados na sociedade argentina, exercendo os mais variados ofícios. Para muitos deles a Argentina é considerada, quiçá, a sua segunda pátria.

Acredito que, naquela época, terá tido início uma genuína relação de amizade entre os povos argentino e cabo-verdiano.

Formalmente, as relações diplomáticas entre os nossos dois países iniciaram-se em Setembro de 1976 e, em 1987, assinamos o primeiro Acordo de Cooperação Técnica e Científica, não tendo havido, desde aquela época, iniciativas fortes digna de registo, apesar de existirem reais possibilidades para o implemento de substanciais programas de cooperação em diversas áreas, nomeadamente, na educação, na agricultura, no comércio, na agro – pecuária, no turismo e no sector alimentar, entre outros, onde os interesses dos nossos respectivos países estariam assegurados.

Recordo, contudo, que no último encontro havido entre o vosso antecessor e o Senhor Ministro das Relações Exteriores de Cabo Verde, ficou acordado que as Autoridades de Buenos Aires convidariam uma delegação cabo-verdiana para visitar oficialmente a Argentina, a fim de relançar as bases de uma cooperação útil entre os nossos dois países, mas, a referida visita ainda não se realizou. Esperamos que se faça num momento oportuno.

 Entretanto, esta seria seguramente uma oportunidade singular para o relançamento dessa cooperação.

Senhor Embaixador,

A política externa de Cabo Verde orienta- se por princípios e valores que o impedem de pactuar com situações anómalas, perturbadoras da paz das nossas sociedades e que possam prejudicar seus planos de desenvolvimento.

Refiro – me concretamente à luta que compete aos nossos países travar contra o crime organizado, transnacional o trafico de estupefacientes e de pessoas, bem como o recrudescimento da pirataria marítima no corredor do Atlântico Sul, fenómenos que, ao se estabelecerem, transformariam essa área numa zona de permanente instabilidade, trazendo como consequência imediata mais delinquência para os nossos países.

Para terminar, gostaria de felicitar e desejar a V. Excelência os maiores sucessos pessoais e profissionais no desempenho das suas novas funções, aqui em Cabo Verde, estando convicto de que o Senhor Embaixador saberá imprimir a dinâmica necessária para que a desejada cooperação entre a Argentina e Cabo Verde se afirme e se fortifique, podendo V. Excelência contar com o apoio pessoal e institucional do Presidente da República de Cabo Verde, para o cumprimento da sua missão.

Muito obrigado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:00